Petição Pública Brasil Logotipo
Ver Abaixo-Assinado Apoie este Abaixo-Assinado. Assine e divulgue. O seu apoio é muito importante.

Abaixo-assinado VAMOS ACABAR COM OS IMPOSTOS PARA IMPORTAÇÃO DE INSTRUMENTOS MUSICAIS, A CULTURA AGRADECE

Para: músicos, atores, artistas, instituições de ensino, produtores, empresários, políticos interessados na causa e admiradores da musica

Vamos unir nossas forças para acabar com a "palhaçada" de um instrumento musical custar no Brasil 10X MAIS do que em outros países e o que podemos fazer para que o governo pare de lucrar com o "suor" de todos os músicos brasileiros.

O musico brasileiro não conta com nenhum órgão que o dê respaldo, não conta com beneficio governamental algum, muito menos tem uma faixa salarial pré-fixada (cachê tabelado) e nem tão pouco tem a garantia de obter rendimentos mensais.

Para isso o grande senador Cristovam Buarque(pelo visto, o único politico interessado no desenvolvimento cultural do pais) criou a muito tempo um projeto de lei PLS 345/2006 que isentaria instrumentos musicais importados de impostos, sendo que isso desenvolveria a cultura por dar maiores recursos aos músicos do pais e incentivaria cada vez mais adeptos.

http://www.cristovam.org.br/leis/?p=59

Os impostos absurdos cobrados são totalmente "infundados" e sequer existe um direcionamento plausível para a verba arrecadada, que deveria aplicada ser em projetos que beneficiem a propria música.

Impostos:
60% para valor maior do que U$50.00(qualquer instrumento custa mais que isso),
10% a 18% de ICMS,
1,65% de PIS/Pasep-importação,
7,6% de Cofins-importação.

Total de 87,2% só de impostos, depois tem o lucro das distribuidoras e lojas.

O que será que acontece para que um instrumento custe até 10x o valor original, ou seja 900% de lucro?

Em 2009 o projeto de lei de Cristovam foi ao plenário para votação OBTENDO EXITO, faltando apenas o sancionamento da lei por algumas "excelências" de Brasilia que não sancionaram tal lei ainda "só Deus sabe porque".

http://www12.senado.gov.br/noticias/materias/2009/08/18/aprovado-projeto-que-isenta-impostos-sobre-instrumentos-musicais-importados

Na época o senador CICERO LUCENA do PSDB de Pernambuco, disse estar preocupado com eventual prejuízo à indústria nacional e pediu que os senadores da CAE fiquem atentos a isso.
(Comentário: "Qual o argumento será, que esse ilustre utilizou para afirmar tal constatação").

O relator do projeto na CE, senador PAULO PAIM do PT do Rio Grande do Sul defendeu que as indústrias nacionais de instrumentos musicais recebam também o benefício.(Comentário: "Claro, a lei é para todos").

Já o presidente da CE, senador FLÁVIO ARNS do PT do Paraná, sugeriu que, na hipótese de haver equivalente no Brasil, a importação não deverá ser permitida.
(Comentário: "Não existe, é muito superior a qualidade e pioneirismo de marcas como Fender, Gibson, Gretsch, VOX, Danelectro, Hagstrom, Burns e outras)

Porem neste ano de 2012 mais um "ilustre" denominado relator ARMANDO MONTEIRO também de Pernambuco(curiosamente) foi contrario a lei de Cristovam também, onde alegou que a industria e o comercio nacionais seriam PREJUDICADOS pela lei proposta e ainda teve a coragem de dizer que: "A ampla e irrestrita isenção equivaleria à decretação do fim da emergente indústria nacional de instrumentos musicais, que, pasmem, seria mais pesadamente tributada em território nacional que os produtos importados". (Comentário: "Sem sentido algum essa afirmação")

O papel de senadores, relatores, governadores e politicos em geral não deveria ser o de defender interesses e direitos da população??? Não é o que parece estar sendo feito.

http://ptb.jusbrasil.com.br/politica/8573365/armando-apresenta-parecer-contrario-a-projeto-de-cristovam-buarque

O mais interessante é que atualmente a INDUSTRIA BRASILEIRA INEXISTE, onde todas as grandes marcas nacionais fabricam seus instrumentos na China. Engraçado isso não é?

O comercio por sua vez, pratica a venda de tais instrumentos obtendo lucro normalmente acima de 100%, isso com todos os impostos e taxas embutidos.

Pergunto novamente, então o que faz um instrumento custar aqui no Brasil 10X MAIS do que o que realmente vale?

*Pouca gente se dá conta que uma Fender Stratocaster Americana de alta qualidade custa em media U$400,00, ou seja, em tempos de dólar a R$1,80, custaria apenas R$720,00 no Brasil. (obvio que existira um valor de frete, mas nada que desabone). E que esta mesma guitarra vendida como usada chega a custar U$150.00 em perfeito estado (cerca de R$270,00).

**A própria CONDOR MUSIC (Empresa nacional)publicou uma nota anunciando a lei aprovada, "Aprovado projeto de lei que concede isenção fiscal a instrumentos musicais importados":

http://www.condormusic.com.br/noticias/129-aprovado-projeto-de-lei-que-concede-isencao-fiscal-a-instrumentos-musicais-importados

-------------------------------------------------------------------------
Seria interessante então, este ilustre relator ARMANDO sugerir que políticos deixassem de adquirir produtos importados para não prejudicarem a industria e o comercio do Brasil.
Assim todos estes políticos andariam de carros nacionais, usariam perfumes, ternos, sapatos, eletrônicos, eletrodomésticos e tudo de procedência nacional
e deixassem de enviar seus filhos para instituições educacionais estrangeiras para assim não prejudicarem as instituições nacionais também.
--------------------------------------------------------------------------

Interessante é que em um segundo momento, se a lei de Cristovam for sancionada(e vai ser), seria garantido que instrumentos de procedência Americana e Europeia seriam comercializados no Brasil no máximo pelo dobro do valor praticado nos países de origem. Ou seja, muita vantagem para todos os músicos e para o comercio, que ainda faturando 100% sobre o valor do instrumento, venderiam ainda mais, pois todos os músicos teriam condições de comprar.

*** Certamente o comercio poderia lucrar da mesma forma, pois ofereceriam o espaço físico (loja), o estoque a pronta entrega, a disposição de instrumentos para teste e algumas vezes a assessoria de profissionais que entendem de musica(pelo menos deveriam entender), fatores que a internet não oferece.

Porém quem já é profissional e tem conhecimentos suficientes poderia optar por importar seu instrumento diretamente de lojas estrangeiras sem problemas, já que uma loja não ofereceria beneficio algum neste caso.

ESTA LEI BENEFICIA TODA A POPULAÇÃO, O COMERCIO, INDO ALÉM, BENEFICIA ATÉ MESMO A INDUSTRIA NACIONAL, NO QUAL ESTA TERIA CONDIÇÕES DE ELEVAR O PADRÃO DE SEUS INSTRUMENTOS, OFERECENDO OPÇÕES DE QUALIDADE A UM CUSTO REDUZIDO AOS CLIENTES (o que já deveria estar acontecendo a tempos).

Interessante também é que a grande mídia nunca se pronunciou sobre assuntos ligados a boa musica, músicos e tão menos aos instrumentos musicais. Porque será?

O Brasil somente regride culturalmente, a manipulação atinge tudo e todos para que não exista desenvolvimento cultural no pais, onde a ignorância cultural deveria ser uma escolha da população e não uma imposição "semi-oculta" feita pelo sistema.

VAMOS UNIR NOSSAS FORÇAS, POIS NÓS MÚSICOS TEMOS UM SONHO E PARTE DESTE SONHO SERIA REALIZADO SE TIVÉSSEMOS OS MESMOS RECURSOS QUE MÚSICOS DE PAÍSES EVOLUÍDOS TEM DE SE DESENVOLVER, PAGANDO POR ISSO VALORES QUE POSSAMOS PAGAR COM O MESMO DINHEIRO QUE RECEBEMOS POR NOSSAS APRESENTAÇÕES MUSICAIS.




Qual a sua opinião?

Abaixo-assinado VAMOS ACABAR COM OS IMPOSTOS PARA IMPORTAÇÃO DE INSTRUMENTOS MUSICAIS, A CULTURA AGRADECE, para músicos, atores, artistas, instituições de ensino, produtores, empresários, políticos interessados na causa e admiradores da musica foi criado por: Músico.
O atual abaixo-assinado encontra-se alojado no site Petição Publica Brasil que disponibiliza um serviço público gratuito para todos os Brasileiros apoiarem as causas em que acreditam e criarem abaixos-assinados online. Caso tenha alguma questão ou sugestão para o autor do Abaixo-Assinado poderá fazê-lo através do seguinte link Contatar Autor
Já Assinaram
723 Pessoas

O seu apoio é muito importante. Apoie esta causa. Assine o Abaixo-Assinado.

Outros Abaixo-Assinados que podem interessar