Petição Pública Brasil Logotipo
Ver Abaixo-Assinado Apoie este Abaixo-Assinado. Assine e divulgue. O seu apoio é muito importante.

APOIO A DERMEVAL SAVIANI PARA A ABL

Para: PRESIDENTE E MEMBROS DA ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS

APOIO A DERMEVAL SAVIANI PARA A ABL

A Academia Brasileira de Letras, por falecimento de seus últimos titulares, está com duas cadeiras vacantes: as de números 12 e 35, respectivamente ocupadas pelos escritores Alfredo Bosi e Cândido Mendes.
Para o preenchimento dos assentos vagos, os atuais membros da ABL, através do voto, escolherão entre os candidatos que se inscreverem, seguindo um procedimento do qual não temos conhecimento pormenorizado. Os abaixo assinados, apoiam Dermeval Saviani, um educador da mais alta qualidade, autor de vasta obra publicada, um intelectual de muitas luzes e largos horizontes, para ser o próximo ocupante da cadeira 35, antes ocupada por Cândido Mendes.
Ao inegável cabedal que possui para vestir o fardão da ABL, Saviani ainda soma para ser investido nessa honraria o ajuste de seu perfil ao do acadêmico Cândido Mendes, pois possuem em comum o fato de terem sido docentes universitários em conspícuas instituições de educação superior. Ambos sempre aliaram à sua atividade docente uma incansável atuação transformadora da realidade em que viveram. E, longe de se acomodarem ao geral reconhecimento do valor de sua obra, seguiram produzindo sem cessar os frutos excelentes de sua pesquisa. Emprestaram à sua escrita o zelo da língua e o primor do acabamento em prosa. E, em lugar de se dedicarem à ficção, como acontece com muitos acadêmicos, voltaram-se à prosa ensaística. Por fim, merece destaque que fortemente cultivaram a cultura humanística.
Cândido Antônio Mendes de Almeida (ou simplesmente Cândido Mendes, seu nome autoral), nascido no Rio em 1928, graduado em Direito e em Filosofia pela PUC-Rio e doutor em ciências jurídicas e sociais pela Faculdade Nacional de Direito, completou sua sólida formação com passagens por Harvard e pela Columbia University. Foi membro fundador do IBESP e do ISEB, tendo chefiado, neste último, os departamentos de História e de Política. Publicou vasta obra, da qual se destaca: Nacionalismo e desenvolvimento (1963, fase isebiana), Memento dos vivos (1966, sobre a esquerda católica), A democracia desperdiçada: poder e imaginário social (1992) e A interpelação limite (1997). Foi um intelectual militante em momentos críticos da vida nacional, atuando como moderador entre a hierarquia eclesiástica e autoridades no período da ditadura em que ocorreu maior repressão contra militantes da esquerda católica. Foi eleito para a Academia Brasileira de Letras em agosto de 1990, ocupando a cadeira 35 até seu falecimento aos 93 anos em fevereiro último.
Com perfil bastante ajustado ao de Cândido Mendes, creio que ninguém mais que Dermeval Saviani reúne credenciais para sucedê-lo em sua cadeira na ABL. Nascido em fevereiro de 1944, de uma família de imigrantes italianos, trabalhadores rurais, Saviani fez quase todos seus estudos básicos como seminarista católico, chegando até ao nível superior nessa condição, cursando o primeiro ano da graduação em Filosofia, em Lorena, SP. Para melhorar as condições de vida e trabalho da família, decidiu que era hora de deixar o seminário, transferindo-se com seus pais para a capital paulista, onde graduou-se em Filosofia pela PUC de São Paulo. Filho de família de trabalhadores assalariados, custeou seus estudos superiores trabalhando como bancário e, depois do ensino superior, como professor. Doutorou-se em Filosofia da Educação na São Bento da PUC-SP, em 1971, com tese publicada em livro em 1973 com o título Educação brasileira: estrutura e sistema.
Exerceu a docência e a pesquisa em diversas instituições de educação superior, entre as quais a PUC-SP, a UNIMEP, a UFSCAR e a UNICAMP, aposentando-se nesta última, na qual continua a atuar como professor colaborador. Foi na Unicamp que fez carreira, tendo defendido a sua livre-docência e, finalmente, o concurso de Professor Titular em Filosofia e História da Educação. Também na Unicamp foi agraciado com o título de professor emérito, além de ter sido agraciado com o Prêmio Zeferino Vaz de Produção Científica. A nível nacional, recebeu a medalha do mérito educacional do MEC, em 1994, e o título de pesquisador emérito do CNPq, em 2010. Recebeu três vezes o Prêmio Jabuti: em 2008, primeiro lugar na categoria Educação, Psicologia e Psicanálise, com História das ideias pedagógicas no Brasil; 2014, segundo lugar na categoria Educação, com Aberturas para a História da Educação; e 2016, segundo lugar também em Educação com História do tempo e tempo da história.
Na obra de Dermeval Saviani merece destaque a sistematização de uma teoria pedagógica voltada à formação integral, ou omnilateral, do ser humano, consubstanciada na Pedagogia Histórico-Crítica, uma teoria educacional que encara a educação tal como se constitui no processo histórico de sua produção, tendo por objetivo a transformação da sociedade com base nas contradições que permeiam sua tessitura. Militante ativo dos movimentos sociais e políticos da área educacional, foi fundador da ANDE, da ANPED e do CEDES e, em 1986, do grupo de estudos e pesquisas “História, Sociedade e Educação no Brasil”, que, sob a sigla HISTEDBR, consolidou-se nacionalmente.
Sua vasta obra inclui: Educação brasileira: estrutura e sistema, 1973; Educação: do senso comum à consciência filosófica, 1980; Escola e democracia, 1983; Ensino público e algumas falas sobre universidade, 1984; Política e educação no Brasil: o papel do Congresso Nacional na legislação do ensino, 1987; Sobre a concepção de politécnica, 1989; Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações, 1991; Educação e questões de atualidade, 1991; Educación: temas de actualidad, 1991; A nova lei da educação: trajetória, limites e perspectivas, 1997; Da nova LDB ao novo Plano Nacional de Educação: por uma outra política educacional, 1998; Da nova LDB ao FUNDEB, 2007; História das ideias pedagógicas no Brasil, 2007; A pedagogia no Brasil: história e teoria, 2008; Interlocuções pedagógicas: conversa com Paulo Freire e Adriano Nogueira e 30 entrevistas sobre educação, 2010; Educação em diálogo, 2011; Pedagogia histórico-crítica e luta de classes na educação escolar (em coautoria com Newton Duarte), 2012; Aberturas para a história da educação, 2013; O Lunar de Sepé: paixão, dilemas e perspectivas, 2014; Sistema Nacional de Educação e Plano Nacional de Educação: significado, controvérsias e perspectivas, 2014; e História do tempo e tempo da história, 2015. Muitos desses livros tiveram inúmeras edições, sendo que Escola e Democracia (Autores Associados) chegou em 2008 à quadragésima edição.
É com base no exposto que APOIAMOS a candidatura de Dermeval Saviani à ABL pois entendemos que nenhum artífice das letras no Brasil atual sobrepuja Dermeval Saviani em credenciais para ocupar a vaga deixada por Cândido Mendes.


José Claudinei Lombardi, CPF 774.327.038-68, Professor Titular de Filosofia e História da Educação e Decano da Faculdade de Educação da UNICAMP.

e outros que seguem em lista anexa




Qual a sua opinião?

O atual abaixo-assinado encontra-se alojado no site Petição Publica Brasil que disponibiliza um serviço público gratuito para todos os Brasileiros apoiarem as causas em que acreditam e criarem abaixos-assinados online. Caso tenha alguma questão ou sugestão para o autor do Abaixo-Assinado poderá fazê-lo através do seguinte link Contatar Autor
Já Assinaram
4.528 Pessoas

O seu apoio é muito importante. Apoie esta causa. Assine o Abaixo-Assinado.

Outros Abaixo-Assinados que podem interessar